Por que crer em Deus

Um dos convidados de ontem do Programa do Jô foi o jornalista Marcos Losekann, que é também escritor e estava lá para divulgar seus livros, além de contar algumas histórias de sua carreira e tal.

Ele tem três romances, que formam uma trilogia chamada “Entrevista com Deus”. O protagonista dos romances é um jornalista que, de ateu convicto, termina acreditando em Deus. Quando estava falando sobre essa questão de crer ou não em Deus, Losekann, que é cristão, disse o seguinte:

“Eu tenho uma explicação simples pra comprovar a existência de Deus. Eu tenho. Veja você: a gente acredita em tudo que é possível, e em tudo que é impossível. A gente acredita em universo, que continua se expandindo; a gente acredita em galáxias que não se sabe onde começam, onde terminam; a gente acredita em via-láctea; a gente acredita em coisas inimagináveis, só em Deus a gente prefere não acreditar. Só Deus não existe. Só o maestro pra reger tudo isso não existe. O resto todo existe. Então acho tão simples acreditar em Deus… É tão natural que exista alguma coisa que controle isso tudo. (…) As pessoas acham démodé acreditar. Há um patrulhamento ideológico em acreditar. Jornalistas, via de regra, não podem acreditar. Por que não? Eu acredito. E eu tenho o telefone Dele, falo com Ele direto, tranquilo.”

E ele tem razão. Para algumas pessoas é um tanto constrangedor acreditar em Deus. Principalmente no meio intelectual. Tem gente que acredita mas fica com vergonha de assumir ou simplesmente de usar expressões comuns aos cristãos como “com fé em Deus” ou “graças a Deus”.

Acho que em tempos assim, em que as demonstrações de fé e sentimento estão cada vez mais em baixa, depoimentos como esse de Marcos Losekann são importantíssimos e merecem ser destacados. Eu já admirava o cara, porque ele tem o emprego dos meus sonhos: jornalista de guerra. E agora admiro ainda mais.

Infelizmente a Globo não colocou o vídeo inteiro da entrevista. Dividiram em dois: um de 10 minutos e outro de quase 4 que chega perto do final, mas cortaram uma besteirinha. Não obstante, vale a pena assistir.

This entry was posted in A vida como ela é, Citações, Livros, TV. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

4 Comments

  1. luizgusmao
    Posted May 23, 2009 at 14:17 | Permalink

    ah, nem… essa “explicação” dele não comprova nada, rafael. esse raciocínio estilo “acredita-se em tanta coisa improvável, pq não acreditar em deus?” é falacioso. parte d uma premissa errônea: a dq fazem parte da mesma categoria d questões d fé e questões teóricas passíveis de investigação científica, que podem ser submetidas a testes para comprovação empírica.

    e, não sei por onde você anda, como pode dizer q demonstrações de fé e sentimento estão em baixa dpois de oito anos d governo bush? num momento em q crescem o número de igrejas evangélicas e vice-presidentes fazem apelos a deus em coletivas públicas dpois de saírem d uma delicada cirurgia d câncer?

    aidna há mto, isto sim, preconceito contra os descrentes, os ateus, aqueles para quem não faz nenhum sentido buscar a comprovação d algo q é incomprovável. para quem aliás, o valor da fé [pois não estou falando d fundamentalistas ateus à la richard dawnkins] o valor da fé esclarecida está em acreditar sem precisar d comprovação nenhuma.

  2. Rafael Rodrigues
    Posted May 23, 2009 at 14:19 | Permalink

    Luiz, me refiro a demonstrações sóbrias, sinceras e espontâneas, não essas demonstrações oriundas do desespero humano.

  3. Luis Eduardo Matta
    Posted May 24, 2009 at 21:04 | Permalink

    Rafael,
    As pessoas têm todo o direito de não acreditar em Deus e respeito a opinião dos ateus, desde que não venham fazer proselitismo para o meu lado. Hoje em dia a Ciência virou uma espécie de pilar no qual os ateus militantes se apoiam para ridicularizar os que professam alguma religião ou mesmo aqueles que, apenas, creem em uma força maior. A estes eu, que assumidamente acredito em Deus, sempre digo o seguinte: “enquanto ninguém me apresentar uma prova científica, fundamentada e incontestável de que Deus não existe, continuarei acreditando na existência d’Ele”. O ser humano é insignificante diante do tamanho do universo e noto que as pessoas cada vez se apercebem menos disso. E é, no mínimo, uma atitude ridícula pretendermos definir o que acontece fora da esfera terrestre. Nem os oceanos o homem conhece direito, que dirá Deus. Mas como sempre me dizia o saudoso Zé Rodrix, cada um acredita naquilo que quer, pode ou consegue. Abração!

  4. Posted October 13, 2012 at 23:50 | Permalink

    Acho que o que merece nossa crença é aquilo que tem algum fundamento, alguma evidência. E também acho que não é questão de preferência, eu não prefiro não acreditar em deuses, o que busco é a verdade, seja ela boa ou ruim.

    Hoje o que me parece é que cada pessoa tem um deus pessoal, com a personalidade que lhe é conveniente, aquela força superior, o que pra mim parece uma tentativa de procurar algum conforto se enganando.

2 Trackbacks

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*