Verdades sobre Budapeste

Faz tempo que li “Budapeste”, de Chico Buarque. Na época, o romance estava há não sei quantas semanas seguidas em todas as listas de “mais vendidos” e recebia elogios de tudo quanto é lado.

Na contramão, eu, que achei o livro uma bela porcaria e escrevi isso no meu antigo blog, e o escritor pernambucano Urariano Mota, que escreveu uma excelente coluna sobre o livro, no Cronópios.

Agorinha há pouco, descobri, também no Cronópios, uma coluna da escritora Marcia Denser, sobre “Budapeste”. Ela, como eu e Urariano, também não gostou do livro.

This entry was posted in Literatura. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

One Comment

  1. Posted December 17, 2007 at 11:01 | Permalink

    ó, sim, livro fraquiiiinho… gosto muito do Chico. achei o ‘Estorvo’ bem razoável, até. mas, talvez, ele ainda não compreendeu que é necessário muito mais ‘fôlego’ dramático para narrativas longas do que para a composição de letras.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*