Surto consumista

Com certeza já falei aqui no blog, só não lembro quando e estou com preguiça de buscar, mas desde janeiro eu tenho um limite para compras por mês. Não digo que foi um limite imposto por Cássia porque não posso deixá-la com a imagem de ditadora, foi algo que conversamos e decidimos juntos. A decisão um tanto quanto enérgica foi tomada depois de calcularmos o quanto eu havia gastado nos últimos anos com livros, CDs e DVDs. Acreditem: vocês não vão querer saber. Tampouco iriam acreditar.

A coisa estava dando certo, eu vinha me controlando direitinho. Quando eu precisei comprar algo fora do limite, a gente conversou e sempre chegamos a um consenso. Sabíamos desde o início que no mês de abril essa cota não seria respeitada, por conta da Bienal. Ainda assim, fazendo as contas hoje, o valor gasto com livros este ano na Bienal foi metade do valor gasto em 2007. Um grande avanço, com certeza.

Admito que pensei, no início, que essa coisa não ia dar certo. Mas acabei me saindo melhor que a encomenda, com a ajuda de Cássia, claro.

O problema é que, depois do belo mês de abril, ficou aquele gostinho de “quero mais”. E é aí que reside o perigo. Não que meu caso chegue ao ponto de ser doentio, percebemos que não é. Se fosse, eu já estava maluco. É somente uma questão de impulso, de não pensar duas vezes, de não fazer contas. Quem tiver “problema” semelhante ao meu, acredite: dá pra se controlar. É difícil, é. Mas tem como se controlar.

Coisa que, infelizmente – ou felizmente, vai saber -, não fiz ontem. E explico o motivo. Encontrei um cupom que dá 20% de desconto em livros, na Saraiva. Mas a Saraiva já dá descontos de 20% em alguns livros. Bom, vocês já entenderam, né? 20% por conta da Saraiva e mais 20% por conta do cupom = 40% de desconto. Se você comprar como cartão Saraiva, ganha mais 5%.

Exemplo: “As veias abertas da América Latina“, de Eduardo Galeano. Neste momento, 00:39 do dia 05 de maio, ele está custando R$ 37,80, sendo que o preço de capa dele é R$ 50,50. Com o cupom de 20% ele cai para 30,24. Bom negócio, não?

Resultado: fiz um gasto que não poderia fazer. Eu poderia ter evitado e não ter comprado nada, esperar meu bolso ficar menos vazio. Mas… paciência, já foi. Agora, uma coisa: outro “surto” assim só em julho.

This entry was posted in Consumismo. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

10 Comments

  1. david.leinad
    Posted May 5, 2009 at 09:29 | Permalink

    eu confesso que sempre tive dificuldade de falar sobre meu lado compussivo na compra de livros, cds e dvds. que bom e que ruim que não é só eu. ja abri poupança para guardar dinheiro. dei dinheiro para minha namorada guardar. inclusive meus cartões de crédito pedi para que ela me escondesse e não me contasse onde pôs. difícil!… eu sempre encontro uma forma de burlar o esquema e toda semana, tem um pertence novo decorando a minha estante e imaginação. 🙁

  2. david.leinad
    Posted May 5, 2009 at 09:30 | Permalink

    (os escondesse)

  3. Cássia
    Posted May 5, 2009 at 11:40 | Permalink

    Pelo menos seu próximo surto já está programado. Só não vale ficar procurando desculpas viu, Rafael. Se não precisaremos de uma outra conversar mais enérgica, e a segunda conversa é sempre pior do que a primeira.

    David.leinad, preciso trocar umas figurinhas com sua namorada. Com certeza depois disso ela saberá como controlar o seu consumismo descontrolado, se é que posso chamar assim. Claro, que às vezes não tem mesmo como controlar mas, é um bom execício de autoreflexão (é com hífen ou sem, Rafael?)

    Meninos, vocês conseguem.

  4. Cássia
    Posted May 5, 2009 at 11:41 | Permalink

    (conversa)

  5. Rafael Rodrigues
    Posted May 5, 2009 at 11:46 | Permalink

    Aí, David, sentiu o drama? O negócio aqui é tipo quartel, rapaz! hahahaha

    Mas, falando sério, já passei por isso aí que você passou. Deu certo porque consegui me livrar de um dos cartões que eu tinha. Mas adiantou pouco, porque passei a usar outros. O negócio é tomar uma atitude meio radical, como essa que falei no post. Tente, quando você pensar em comprar algo, deixar para o dia seguinte. Se ainda assim você sentir vontade de comprar, tente adiar mais um dia. Se você conseguir isso, já é um bom começo.

  6. Posted May 5, 2009 at 13:04 | Permalink

    Hilária essa relação afetivo-consumista de vocês dois!!!!
    Dou gargalhadas!!!

    W.M.Carvalho
    http://esquinasludicas.blogspot.com/

  7. david.leinad
    Posted May 5, 2009 at 19:38 | Permalink

    obrigado Rafael e Cássia!…. a propósito estarei providenciando uma conversa de Cássia com minha namorada, quem sabe assim não tomo jeito.rs.

    deixar para comprar no outro dia tb já tentei Rafa. acontece que quando fiz, acabei por sonhar com a suposta futura aquisição.hehehe.

    abraço.

  8. Rafael Rodrigues
    Posted May 5, 2009 at 20:08 | Permalink

    irmão gêmeo! hahaha acontece comigo também, rapaz. é o preço que se paga por não pagar pelo dito cujo! hahaha mas segue firme aí que você consegue!

  9. luizgusmao
    Posted May 6, 2009 at 08:57 | Permalink

    isso me lembra não sei quem q disse ser a mulher a verdadeira força civilizadora da humanidade. elas nos ensinam d td: desde a lavar atrás das orelhas até a canalizar os impulsos eróticos por meio da fina arte do cortejo.

  10. Cássia
    Posted May 6, 2009 at 10:42 | Permalink

    “A verdadeira força civilizadora da humanidade.” Gostei disso.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*