Sobre ter um cachorro

Cachorros são muito bonitinhos em filmes, novelas e na casa dos outros – se não for um monstro (leia-se doberman, rottweiler, fila e afins). Mas cuidar e criar um cachorro dá um trabalho que só quem tem um sabe como é.

Nunca fui muito fã dos caninos. Lembro que eu sofria com os poodles, quando era guri. Todo poodle que me via corria atrás de mim. Era uma droga.

Faz um bocado de tempo, tentamos criar aqui uma pastor belga. Ideia de meus irmãos, não apoiei e não ajudei em nada. Minha não colaboração fez com que a estadia dela conosco não passasse de seis meses, visto que meus irmãos não ajudavam em quase nada, ficando todo o trabalho de criar e cuidar da cachorrinha com meus pais – minha mãe, mais especificamente.

Os anos passaram e os poodles pararam de me perseguir. Também deixei um pouco de lado o trauma de cachorros e, há mais de um ano, desta vez por ideia e vontade apenas de minha irmã, estamos criando uma labrador. E, desta vez, eu, que jurava não ajudar em nada e que no início me coloquei terminantemente contra a manutenção de um animal de estimação em nossa casa, sou o que mais anda acompanhando a cachorrinha em suas aprontações diárias.

Ela é a cara do Marley. Até comprei o livro e assisti ao filme (contei pra vocês? chorei horrores).

Mas enfim. A questão é que criar um cachorro dá um trabalho danado. Além de uma boa despesa. Ração, ossinhos, correntes, coleiras, peitoral, remédios, banhos… Gasta-se uma boa grana. Sem contar o adestramento, se o cachorro precisar. Ah, e o principal: tempo. Perde-se uma enorme quantidade de tempo por causa de um cão. É passeio, é esperar ele fazer as necessidades, é limpar a sujeira, é observar ele solto pra não aprontar demais…

Então, se você estiver pensando em criar um cachorro, pode parar, respirar um pouquinho, consultar preços de petshops, sacos de ração e os adereços todos listados no parágrafo anterior. Pense se você tem preparo psicológico (estou falando sério) para cuidar de um animal. Depois, se você tem condições financeiras para isso. Em seguida, se você tem tempo. Por último, pense, e pense muito, se você tem paciência suficiente para descobrir seu sofá rasgado, suas plantas comidas, seus braços arranhados e muito mais.

Não que todo cachorro seja uma máquina de fazer estragos, mas você pode dar a sorte de justamente o seu ser assim.

This entry was posted in A vida como ela é. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

3 Comments

  1. Alex
    Posted February 24, 2009 at 16:11 | Permalink

    Concordo com alguns pontos do teu texto, como por exemplo ter condição financeira para cuidar de cachorros, uma vez que muitas pessoas adotam vários deles, e depois não têm como cuidar e acabam por abandoná-los nas ruas – o que para mim é extremamente imperdoável.

    Tirando outras coisinhas, aqui e ali, discordo de tudo. Cuidar de cachorro não é perda de tempo – pelo menos para quem ama estes seres (e veja bem: ama, não gosta; gostar, qualquer um gosta de cachorro, mas enfim). Minha família e eu já tivemos 18 cachorros ao mesmo tempo e agora temos 12. Cuidamos de todos com o mesmo carinho, dedicação, temos tempo para isso e não reclamamos de nada. Claro que você tem suas opiniões e experiências, e eu as respeito, só acho teu ponto de vista um pouco forçado, estreito, para quem quer ter algum cão, como se você quisesse desencorajar as pessoas a fazê-lo.

    Cachorros são infinitamente mais especiais e interessantes do que o ser humano – e valem muito mais. Nossa raça já está estragada e é hipócrita, interesseira e injusta, ao passo que os cachorros são puros e não esperam nada em troca, amam por amar e ficam juntos sempre que é preciso. Se os cachorros que passaram por sua vida não foran assim com você, é porque você não soube tratá-los.

    Mas com certeza é melhor não ter um a ter e fingir gostar.

  2. Rafael Rodrigues
    Posted February 24, 2009 at 17:30 | Permalink

    Olá, Alex, tudo bem? Acho que você não entendeu bem o que eu disse. Não disse que criar um cachorro é perda de tempo. O que eu disse foi que perde-se tempo criando um cachorro. Do mesmo jeito que perde-se tempo indo à faculdade, conversando com amigos ou ao lado da pessoa amada. Nada disso é perda de tempo, mas consome tempo. Perdemos tempo dormindo, mas dormir não é perda de tempo. Você disse que “os cachorros são puros e não esperam nada em troca, amam por amar e ficam juntos sempre que é preciso”, e sua frase se parece muito com uma frase dita pelo personagem principal de “Marley e eu” – com a qual concordo veementemente. Não foi minha intenção desencorajar pessoas a criarem cachorros. Os dez leitores que tenho aqui com certeza são pessoas com boa cabeça e não vão mudar de opinião somente por causa de um post meu. O que quis foi apenas desabafar e mostrar a algum possível interessado que criar um cão não é fácil, apesar de ser muitíssimo gratificante e recompensador. Enfim, acho que você interpretou o texto de outra maneira, coisa que é perfeitamente normal, visto que cada leitor interpreta um texto de determinada forma.

  3. Posted May 27, 2010 at 16:31 | Permalink

    Eu tenho, três cachorros em casa, duas femêas e um macho.
    Nina:raça, coker, cor, preta e branca e tem três anos.
    Rebeca:raça, poodle, cor, cinza e tem quatro anos.
    Juca:raça,poodle, cor, preto e branco e tem dois anos.

    O Juca é filho da Rebeca e a Nina é irmã da Rebeca…

    Eu amo todos eles, para mim eles são meu filhos….

    Obrigada…

2 Trackbacks

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*