Sinais dos tempos?

Há algum tempo falei sobre como foi difícil escrever a resenha de “Sobre Alice“. Fiquei devendo postar um texto que nasceu de uma das tentativas frustradas de iniciar a resenha. Pois agora o posto. De novidade nele, só os últimos dois parágrafos, que redigi agora há pouco.

É difícil falar de amor. Prova disso é a infinidade de músicas, poesias e comédias românticas produzidas até hoje. Afinal, o que é mais fácil: elaborar você mesmo um texto romântico para a sua bem-amada ou simplesmente dedicar a ela uma letra do U2?

Mas ainda há quem consiga ser original, romântico e sincero ao falar de amor. Há centenas, milhares de homens românticos que o fazem. Isso só não é público e notório porque, com toda a razão do mundo, as mulheres amadas por esses homens fazem de tudo para não espalhar por aí que seus namorados, noivos e maridos são uns “fofos”, uns amores. Isso atrai a concorrência.

***

Na época do ginásio, era difícil um amigo meu admitir que estava apaixonado por alguma garota. Eles sempre desconversavam, diziam que não era bem assim, que só queriam curtir, essas coisas. Os que continuam solteiros até hoje provaram ser realmente solteirões convictos, mas boa parte deles não demorou a sofrer por amor.

Por ser um cara considerado romântico – e sou mesmo, ou tento ser – meus amigos vinham chorar as mágoas dos amores não correspondidos em meus ombros. Isso bem distante da vista dos outros, é claro. Até porque, algumas vezes, eles literalmente choravam. É como diz aquele velho ditado: “os brutos também amam”.

Algumas situações chegavam a ser engraçadas, se não fossem realmente tristes. Mas éramos novos ainda, achávamos que aquelas paixões juvenis que tivemos seriam para o resto da vida. Mas a vida, para nós, estava só começando. As paixões e os amores – no meu caso muitas vezes não correspondidos – iam e vinham. Com facilidade e dor extremas.

***

Naquela época – falando assim até parece que faz muito tempo… – as garotas procuravam rapazes sérios, responsáveis, para namorar, mas se queixavam de que era muito difícil encontrar alguém que quisesse ter um relacionamento firme. Hoje, pelo que percebo, acontece justamente o contrário: são os rapazes que se queixam de que não está nada fácil encontrar uma garota a fim de engatar um namoro. As mulheres resolveram engrossar? Virar o jogo? Ou é só impressão minha? Mulheres, se pronunciem!

This entry was posted in Crônicas. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

2 Comments

  1. Posted May 15, 2008 at 11:04 | Permalink

    Rafael,
    Acho que é impressão sua Por tudo o que vejo, a maioria das mulheres continua em busca de homens sérios e responsáveis. O problema é que o homem contemporâneo, em geral, tem andado bem abaixo da expectativa delas. Então, enquanto esperam o “cara certo”, como algumas gostam de dizer, as mulheres se divertem com relacionamentos fugazes, afinal uma das conquistas dos tempos modernos é a conquista, pelas mulheres, da liberdade de fazer o que bem entender da sua vida, coisa que, no passado, era restrita aos homens. E muitos homens se horrorizam ao perceber essa realidade.
    Diga a esses “rapazes queixosos” que eles estão procurando namoradas nos lugares errados. Talvez eles estejam indo muito a micaretas e boates da moda.
    Abração!

  2. macario
    Posted May 15, 2008 at 11:19 | Permalink

    Preciso uma moça para namorar seriamente.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*