Rio 2016

Acho muito bonito toda essa onda patriótica correndo o Brasil por conta de o Rio de Janeiro sediar as Olimpíadas de 2016 – hoje mesmo, no Jornal Hoje, vi uma dúzia – não mais que isso – de integrantes do Olodum, lá no Pelourinho, fazendo festa pros cariocas. Imaginem como não deve ter sido animada a coisa lá no Amapá ou no Acre.

De verdade. Quase choro. Fiquei com um nó na garganta. Só não chorei porque estava almoçando, no restaurante ao lado do trabalho.

Mesmo tendo, horas antes, ouvido de um colega que Barcelona até hoje paga a conta das Olimpíadas que sediou em 1992. Se é verdade ou não, não sei. Mas ele falou uma coisa interessante, e que não deixa de ser verdade: a cidade do Rio de Janeiro será, agora, a menina dos olhos do governo federal. Deste e dos próximos. O que vai ter de investimento lá não vai ser brincadeira. Mas, vejam: somente o Rio de Janeiro. Nenhum outro estado será beneficiado. Talvez cidades vizinhas do Rio, e só. Li que outras capitais receberão partidas de futebol, mas, se isso for verdade, não é grande coisa: afinal, a Copa do Mundo de 2014 será aqui, toda a estrutura já estará montada.

Ou seja: vai ser bom pro Rio. Para o resto do Brasil, não. Porque certamente verbas federais que poderiam ir para outros destinos, cairão no Rio.

Não que eu seja contra qualquer coisa. A questão não é essa. Só penso o seguinte: nosso país tem problemas enormes e urgentes para serem sanados. Por que, em vez de trabalhar para isso, ficamos correndo atrás de sediar Copa e Olimpíada? Não dá para entender.

O Lula tem feito um bom governo? Depende do que você chama de bom governo. Para mim, a administração dele é razoável, porque comparo com o que ele poderia fazer. E ele poderia fazer muito mais. Não ele, Lula, mas seu governo, seu partido.

Fez muito, é verdade. Não se pode negar. Mas e o que poderia ser feito? Temos que analisar friamente a coisa. Se ele tirou X milhões de brasileiros da linha da pobreza, o fato é que poderia ter tirado o dobro. Se poderia ter levantado sei lá quantas casas, poderia ter levantado o dobro. E por aí vai. Não é porque um governo faz sua obrigação que devemos elogiá-lo e fechar os olhos para o que ele poderia fazer de melhor e não fez.

Se colocarmos na balança, o governo Lula foi mais decepção que surpresa. Basta citar o mensalão. E, agora, as alianças com Sarney e Collor – o vale-tudo pela governabilidade.

Isso é mesmo necessário? Justo ele, o presidente que bate recordes de popularidade?

Há algumas semanas, no trabalho, entrei de gaiato na conversa de alguns colegas. Eles, funcionários de um órgão federal, falavam que o PT precisa continuar no governo, para que tudo continue como está – ou seja, o emprego deles, o salário deles, o plano de carreira deles. Certo, tudo bem, entendo que temos de defender o nosso. Mas uma das minhas colegas chegou a dizer, sobre mensalão e conchavos com El Bigodudo e El Hombre del Saco Lilás, que tem de ser assim mesmo, que corrupção tem em todo o lugar e que tem de ser fechar os olhos para certas coisas, ou então não se governa.

Quer dizer: você vai deixar de ser um cidadão crítico porque sua situação se tornou mais confortável por causa de um governo corrupto, é isso?

E ela ganha um salário polpudo, poderia se dar o luxo de criticar. Eu, que ganho uma merreca e sou funcionário do município, jamais vou deixar de criticar o prefeito da minha cidade – seja lá quem ele for – só porque sou “funcionário dele”. (Felizmente, o atual prefeito vem fazendo um bom trabalho, ao que me consta.)

Voltando ao Rio. Não lembro se já disse aqui no blog – e estou com preguiça de procurar -, mas o que acontece no Rio de Janeiro é uma guerra civil. Em São Paulo também. Salvador recentemente teve dias de completa desordem, com bandidos queimando não sei quantos ônibus e barbarizando geral. E em várias outras cidades do Brasil.

Por que, em vez de gastar sei lá quantos bilhões com Olimpíadas, não tentamos resolver esse problema, por exemplo? E o da educação. E o da saúde. E o da moradia.

Sem contar que certamente uma parte considerável desses bilhões vai ser desviada para o bolso de muita gente graúda.

Mas, enfim, comemorem. Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Espero que ninguém por aí leve uma bala perdida na testa e perca essa festa.

This entry was posted in A vida como ela é, Política. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

2 Comments

  1. Posted October 3, 2009 at 01:52 | Permalink

    Copa 2014 e Olimpíadas 2016. Será que depois de todo esse blablablá de provarmos ao mundo que não somos vira-latas, que somos capazes, será que depois que tudo isso passar enfim vamos começar a melhorar esse país?

  2. Posted October 4, 2009 at 21:39 | Permalink

    Eu já assinava embaixo desse texto antes mesmo de você faze-lo. Pelas nossas conversas.

    Acho que o Brasil vai investir demais no pra americano ver, o que não ajuda em nada. Fazer estádios bonitos, esconder a pobreza, para quê? Pra virar um marco que foi sede de uma Olimpiada? Isso tem um preço muito grande.

    E sim, acho que o resto do Brasil pode perder muito com isso. Poderia dar bons empregos e etc. Mas é o pais da pizza, o pais dos atos secretos, então, deixa pra lá.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*