O romance interminável

Nunca mais um versinho, ela disse.
Mas amor, é que não sou poeta.
Se algum dia fui, foi apenas para conquistar amores.

O problema é que,
depois de conquistado,
o amor não se faz com versos.
E então inventei de ser contista.

Mas percebi que o amor não cabe em contos.

Que tal ser romancista?, pensei.
E então todos os dias escrever
um novo capítulo
do romance interminável
entre eu e você.

Melhor assim, não?

This entry was posted in Poemas. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

One Comment

  1. Posted November 13, 2008 at 06:23 | Permalink

    Ótima idéia. Tenho certeza que nesse romance não faltará paixão, amor e um boa dose de humor. Tudo na medida certa. Simples e perfeito.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*