O livro que eu deveria ter escrito

Ei-lo: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2009/01/090120_francalivrocaixa_fp.shtml

Pôxa, eu trabalhei com atendimento ao cliente – inclusive como caixa – por mais de quatro anos, eu era quem deveria ter escrito esse livro. Até porque, ela que me desculpe, mas trabalhar com análise de crédito é uma batata quente. Porque você tem que informar ao cara que o cartão dele não foi aprovado.

Agora, imagina: o cara é dono de uma loja de informática, ou de um supermercado, ou um advogado ou, pior ainda, um deputado. Quando acontece um caso assim, os atendentes empurram um para o outro a tarefa de informar ao cliente, porque nunca se sabe o que vai sair dali. Já tive cliente que ficou quase uma hora na minha mesa, discutindo comigo, recusando a levantar-se, se não pudesse falar com um superior ou se não saísse dali com um documento, assinado por mim, afirmando que EU não havia lhe concedido crédito. Sendo que nós, atendentes, quase não temos como interferir na aprovação de um cadastro. Quase. (Conseguem ouvir minha risada sarcástica?)

Mas, enfim, que publiquem logo o livro dela. E se alguma editora se interessar por mais histórias de lojas de departamentos e empresas de cartão de crédito (ah, e livrarias também!) – inclusive sobre funcionários que não medem esforços para subir na empresa -, é só falar comigo. Tenho milhares dessas.

This entry was posted in A vida como ela é, Livros. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

One Comment

  1. Cássia
    Posted January 21, 2009 at 18:41 | Permalink

    Você pode escrever o seu ué! Histórias não são finitas.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*