Já ficou chato…

Não vou dizer que não assisto o Big Brother. Mas dessa nova edição, ainda não vi 1 só “capítulo” inteiro. Vi só um trechinho de uma festa idiota que aconteceu em uma madrugada dessas. Eles cantavam e dançavam músicas do Mamonas Assassinas.

Fui pegar um café agora há pouco e passei na frente da tv, que quase sempre fica ligada a madrugada inteira, não me perguntem por que. Aí vi uma garota em cima de um rapaz, dizendo que o beijou porque se sentiu envolvida por ele. Não acompanhei a cena inteira porque meu café é mais importante que isso. Mas já identifiquei o tipo: é a bebum da vez. Teve uma no BBB passado, não lembro quem foi.

Depois vi dois caras conversando meio escondido. Ou é tramóia ou mais um vai sair do armário, tal qual Jean Willys, num outro BBB.

Em seguida vi o que deve ser o Don Juan do BBB, por ele não estar no meio do agito noturno, e sim deitado na cama, conversando com uma das garotas da casa. Ele disse o seguinte: “O que eu quero é me divertir e mostrar quem eu sou“. E depois disse o seguinte: “Quem vai ganhar é quem o Brasil escolher“. Esse indivíduo segue o script que acha que vai conquistar os telespectadores e lhe dar o prêmio maior do programa.

Isso tudo me fez ter uma idéia, que poderia servir a algum desocupado ou estudioso do programa – que acaba dando no mesmo que desocupado: selecionar as frases mais ditas durante o programa e identificar os perfis escolhidos (?) pela produção do programa para participar do reality show. Alguns eu já identifiquei acima: a bebum (talvez seja chamada de “a vagaba”, em breve), o boiola e o “mocinho”.

Não tenho nada contra o programa. Até assisti as primeiras edições. E até hoje lembro do BamBam com aquela boneca que esqueci o nome. Poxa, acho até que chorei no dia que ele ganhou. Ele ganhou uma das edições, certo?

Mas deveriam colocar pessoas mais interessantes no BBB. Sei lá… Pessoas que fizessem trabalhos de voluntariado em suas cidades, pessoas que chefiam grandes empresas, pessoas humildes e esforçadas, professores, enfim, pessoas que pudessem realmente passar algo de bom para que estiver assistindo ao programa. Isso não tornaria o programa chato. Essas pessoas seriam pessoas jovens e bonitas, também. A diferença é que elas teriam algo na cabeça, e não apenas vento.

This entry was posted in A vida como ela é, TV. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

4 Comments

  1. Posted January 14, 2007 at 10:42 | Permalink

    Em verdade eu nunca assisti ao programa, salvo algumas “passagens pela sala” nalguma edição anterior. Mas leio por aí, e é incrível como são sempre os mesmos tipos, as personalidades repetidas, estereotipadas. Faz-me recordar dum ensaio do Baudrillard: telemorfose e criação de poeira.

  2. Cássia
    Posted January 14, 2007 at 12:10 | Permalink

    Concordo.;. O nome da boneca do BamBam era Maria Eugênia, pow eu também chorei quando ele ganhou.

  3. Posted January 14, 2007 at 20:00 | Permalink

    Fala cara! Eu nunca assisti, mas não que eu me orgulhe disso. Assisto coisas bem piores — scrubs me parece bem pior…e a coleção dos filmes Nerds também…e eu me divirto –, mas nunca. E pô, que preconceito é esse com as pessoas desinteressantes? Eu sou desinteressante e não vejo nada demais nisso. Se continuar desse jeito, em breve vou exigir um feriado nacional em homenagem à consciência desinteressante, cotas em universidades públicas para pessoas desinteressantes, até cadeiras especiais em metrô, ônibus, etc, etc. =]

    Abração!

  4. Posted January 14, 2007 at 21:40 | Permalink

    Não vi ainda esre BBB, tudo é tão igual…

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*