Eu te vejo

Eu te vejo quando bem quero.
Nos olhos de toda mulher que passa
                                       [por mim.
Basta ela ter qualquer coisa tua.

Pode ser a pele branca.
Ou o cabelo – negro, para mim –
castanho escuro, para ti.

Mas às vezes nem nada.

Basta que eu olhe pra qualquer lugar.
Qualquer lugar.

E então
te vejo.

This entry was posted in Poemas. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

2 Comments

  1. Thiago
    Posted March 18, 2007 at 18:44 | Permalink

    Gostei! Um tom prático, e direto. Muito bom!

    Abraços!

  2. Cássia
    Posted March 20, 2007 at 17:14 | Permalink

    É tão lindo, leve, claro. 😉

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*