Coisas de livraria

Um dia desses ligaram pra livraria, eu atendi, e perguntaram assim: “vocês vendem livros?”. Prendi o riso, respondi bem rápido: “sim, pode falar” e tapei o fone com a mão, pra poder rir, enquanto o sujeito falava. Rapaz, que coisa.

É comum também perguntarem “você já leu esse?”. Ou então que a gente indique um livro bom da área de psicopatologia, sei lá.

Tem ainda aquele que fala assim: “rapaz, estou procurando um livro, mas não sei o título nem o autor; mas lembro que a capa dele é vermelha”. Fácil, não?

Isso quando não perguntam pelo “lançamento recente” ou “lançamento novo” de algum autor.

Falando nisso, um dos donos contou o caso de um senhor que chegou procurando um lançamento de Euclides da Cunha…

E um outro caso de um livro esotérico: certa vez, um rapaz procurou o livro, e ele estava na estante A. Ele ficou de comprar depois e, quando foi novamente na livrairia, o tal livro estava numa estante B. Mas não foi desse vez que levou, ainda. Na terceira e derradeira vez, não conseguiu encontrar o título. Perguntou pelo livro, e o encontraram numa estante C. E então comentou: “todo dia esse livro está num lugar diferente, por que?” Ao que um dos donos respondeu: “rapaz, esse livro é poderoso demais; às vezes a gente coloca ele lá em cima, quando vai ver, ele está lá embaixo; as meninas têm até medo.” O cara levou o livro na hora.

This entry was posted in Histórias de livraria. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

One Comment

  1. Posted June 5, 2008 at 18:18 | Permalink

    como assim a pessoa liga em uma livraria e pergunta “vocês vendem livros?” eu ri muito aqui. eu ia ter que segurar o riso também.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*