A literatura e seus efeitos, again

Pra quem já leu aqui, é interessante dar uma olhadinha, porque tem algumas melhorias. Pra quem não leu, dá um pulo no Digestivo pra ler 🙂

This entry was posted in No Digestivo. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

3 Comments

  1. Posted February 29, 2008 at 16:40 | Permalink

    Muito bom texto, gostei muito desta parte: “Livros ruins têm, sim, muitos defeitos. A literatura, não.”

  2. Posted March 2, 2008 at 12:39 | Permalink

    Rafael,
    eu li o seu texto no Digestivo Cultural. Mas eu não li todo porque eu estou tremendo por conta do que seu amigo comentou com você e você reproduziu no seu texto, entre parênteses: Em uma mulher também, mas não são tantos os casos. Como disse um amigo meu, “elas adoram oficinas literárias e a possibilidade da literatura ser uma conversa no salão de beleza, com palpite voando pra todos os lados enquanto se escreve alguma coisa… mulheres gostam de rituais, associações e, muito especialmente, rituais de associações ? cerimônias de aniversários, cerimônias de formatura, cerimônias de casamento ?, embora raras vezes se suportem umas às outras…”

    Eu estou longe de ser feminista, até achei engraçado o que seu amigo falou, muito verdadeiro, mas acho que você e seu amigo precisam conhecer as mulheres certas. Até porque, se assim fosse, eu ia dizer que os homens querem a literatura pra ver se ela se torna papo de posto de gasolina, enquanto abrem os capôs de seus carros, tomam cervejas, e se empavonam, como se aquela maroba toda fosse interessante, embora raras vezes são bom em alguma coisa. 🙂

    Gosto muito do jeito que você escreve, apesar de.

  3. Posted March 3, 2008 at 04:30 | Permalink

    Rafael,
    Eu não levei você e seu amigo tão a sério assim. Eu só me espantei, ao mesmo tempo em que achei engraçado.
    Como vocês generalizaram, eu também generalizei, e digo: vocês jamais vão encontrar certas mulheres num salão de beleza, num sábado de tarde. Jamais! 🙂

    Ah, e leia o livro. Não sei como você conseguiu deixar pela metade, ou então foi minha atual loucura por literatura contemporânea que me fez lê-lo em duas esperas.

    Hasta la vista.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*